Cassiano Branco

 
 
 
Cassiano Branco
Biografia

Cassiano Branco nasceu em Lisboa no ano de 1897.
Aos 15 anos fez a sua primeira matrícula na Escola de Belas Artes de Lisboa (EBAL). Durante o tempo que a frequentou, manifestou-se um aluno irrequieto e irreverente, o que lhe valeu, além de algumas reprovações, a sua suspensão das aulas por um período de 4 dias.

Paralelamente aos estudos, trabalhou em várias actividades, o que não lhe permitiu diplomar-se antes de 1932, já com 35 anos. Os seus primeiros trabalhos são, no entanto, anteriores a esta data, como são exemplo as alterações por ele projectadas para o Coliseu de Lisboa, alterações ao Éden Teatro, projectos de Armazéns em Angola ou o projecto de urbanização da Costa da Caparica, que data de 1930.
Em 1933, concorre ao lugar de professor de Desenho de Arquitectura na EBAL, o qual veio a ser ocupado pelo Arquitecto Cristino da Silva.

A irreverência por ele já anteriormente assumida não lhe facilitou o acesso a projectos para obras públicas, pelo que desenvolveu a sua actividade profissional respondendo principalmente a encomendas privadas.

Projeto de urbanização da Costa da Caparica
Os poucos projectos de urbanismo por ele apresentados não tiveram aceitação, pelo que nunca se concretizaram. Além de projectos de arquitectura, Cassiano Branco desenvolveu também alguns estudos teóricos, razoavelmente documentados no seu espólio.

Em 1969, apresenta os seus últimos projectos: projecto final da estação fronteiriça de Galegos; projecto para os CTT de Portimão; projecto para um prédio de rendimento na Rebelva.

Morreu em 1970, a 24 de Abril.

História custodial e arquivística:

O arquivo particular deste arquiteto foi adquirido pela Câmara Municipal de Lisboa em 1990.
A documentação chegou em maços e rolos (vegetais), por vezes acompanhados de lista descritiva do seu conteúdo, aferindo-se que a ordem original se perdera, situação, entretanto, corrigida.
Portugal dos Pequenitos

A classificação que lhe foi posteriormente atribuída baseou-se não tanto nas tipologias documentais, mas principalmente nas diferentes tipologias arquitetónicas representadas, procurando deste modo garantir a perceção dos diferentes projetos documentados, bem como captar o seu sentido de evolução.

Do espólio existente no AML, composto por diferentes processos fotográficos, marion, ozalide, papel, tela e vegetal, destaca-se o projeto de Portugal dos Pequenitos,  o qual foi já objecto de uma publicação do Arquivo Municipal de Lisboa, "Jardim Portugal dos Pequenitos", a qual está disponível para venda nas nossas instalações.


Tipologias de documentação existente no Arquivo Municipal de Lisboa:
  • projetos de comércio e indústria;
  • concursos públicos e estruturas móveis;
  • projetos para arquitetura habitacional, equipamentos de espetáculos, hidroelétricos e turísticos;
  • projetos para edifícios de utilização pública;
  • estudos e projetos de urbanismo;
  • estudos técnico-científicos;
  • documentação particular;
  • mapas e plantas;
  • coleções e recortes de revistas.
Data(s): 1888 a 1969

Código de referência: PT/AMLSB/CB

AGENDA