Firmino Marques da Costa

 
 
 





> Código de referência PT/AMLSB/MAC

> Data(s) 1940-1970

> Nome(s) do(s) produtor(es)
Costa, Firmino Marques da. 1911-1992, fotógrafo


> História administrativa / biográfica

Firmino Marques da Costa nasceu a 10 de Janeiro de 1911, na freguesia de Santa Maria Maior, em Lisboa, filho de Júlio Marques da Costa e de Elvira do Rego Marques da Costa. Frequentou, até aos 14 anos, a Escola Comercial Veiga Beirão, mas os primeiros passos na aprendizagem das técnicas fotográficas foram dados com o próprio pai e com Anselmo Franco, ambos fotógrafos. Recebeu a carteira profissional de jornalista, em março de 1938, porém, a sua colaboração na imprensa iniciou-se aos 17 anos, quando ingressou na delegação de Lisboa do jornal Comércio do Porto, então sob a direção de Bento Carqueija.

Neste periódico, cuja colaboração manteve até se aposentar, chegou a ser o único fotojornalista, mas a sua atividade na imprensa estendeu-se a outros jornais e revistas, entre as quais, O Panorama, Novidades, A Voz e o Primeiro de Janeiro. Durante a década de 1920, iniciou a colaboração com as duas maiores revistas ilustradas de circulação nacional, O Século Ilustrado e Notícias Ilustrado. Em 1929, entrou para o Diário de Noticias, sendo seu diretor Eduardo Schwalbach, mantendo-se a trabalhar nesta entidade até ser saneado, em 1975. Foi ao serviço deste jornal que fez a cobertura da Guerra Civil Espanhola (1936-1939), um dos mais destacados trabalhos que realizou. A partir de 1979, tornou-se coordenador de uma secção no Diário Popular, periódico com o qual já colaborava há várias décadas, como repórter fotográfico. Efetuou múltiplos trabalhos oficiais para a secção de imprensa do Ministério do Ultramar, ao serviço do qual, fez a cobertura fotográfica de diversas viagens presidenciais a África e ao Brasil, utilizando, frequentemente, uma câmara Spido-Gaumont.

Colaborou no boletim Portugal, no jornal do Secretariado Nacional de Informação (SPN/SNI), fazendo a cobertura de inúmeras iniciativas deste organismo, nomeadamente, exposições e outras atividades de caráter cultural e turístico. Acompanhou a primeira visita de Estado de um Presidente da República Portuguesa às colónias africanas, integrado na missão cinegráfica às colónias de África. Desta participação, resultou a obra "Viagem presidencial às colónias”, publicada em cinco volumes, pela Agência Geral das Colónias, entre 1938 e 1939. Recebeu diversas condecorações, destacando-se o grau de Cavaleiro da Ordem do Infante D. Henrique, em 1970. Em julho de 1985, retirou-se da atividade profissional, contando, então, com uma carreira de mais de sessenta anos. Firmino Marques da Costa faleceu a 30 de Julho de 1992.


> História custodial e arquivística

A documentação foi adquirida pela Câmara Municipal de Lisboa, a Firmino Marques da Costa, em 1990.




AGENDA