Daguerreótipo

 
 
 

Daguerreótipo

Desde a criação da câmara escura, que permitia aos artistas desenhar as imagens projetadas sobre uma superfície, que se perseguia a ideia de fixar essas imagens através da luz, sem qualquer outra interferência.

Daguerreótipo [Retrato masculino] Data: [entre 1839-1855] - PT/AMLSB/CMLSBAH/PCSP/005/TPF/000001
Joseph Nicéphore Niépce (1765-1833), ao desenvolver um método para copiar desenhos para a litografia em que usava a luz solar, conseguiu fixar uma imagem projetada por uma câmara escura e terá sido o autor da primeira heliogravura point de vue de la fenetre em 1827 feita sobre uma placa de estanho com sais de prata, ao fim de oito horas de exposição à luz.

Louis Jacques Mandé Daguerre, francês, nascido em 1851, artista, físico e inventor vai aperfeiçoar este processo quando descobre a forma de reduzir o tempo de exposição e fixar a imagem representada na câmara escura.
Fez várias experiências com placas sensibilizadas com iodeto de prata, mas foi o acaso que o levou a encontrar a fórmula para a invenção. Ao quebrar acidentalmente um termómetro de mercúrio sobre uma placa, descobriu que podia revelar imagens em apenas 20 a 30 minutos de exposição. Posteriormente consegue fixar a imagem, usando uma solução salina e em 1837, obtém o primeiro daguerreótipo de uma natureza-morta.

O processo fotográfico inventado por Daguerre e divulgado em 1839 permite fixar uma imagem obtida com uma câmara sobre uma placa metálica, sem usar negativo.
Basicamente é uma imagem positiva em chapa de cobre com um banho de prata polida, exposta à luz, sensibilizada e revelada a partir de vapores de iodo. É positiva e negativa dependendo do ângulo de visão e necessita sempre de refletir uma superfície negra para se ver em positivo. A reprodução de detalhe é excelente e talvez por isso tenha sido usado, durante duas décadas.

Daguerre não registou o invento cedeu-o ao governo francês, em troca de uma pensão vitalícia. O daguerreótipo teve sucesso imediato e revolucionou o modo de fazer fotografia, particularmente o retrato, tão caro a uma burguesia em ascenção, como forma de afirmar o estatuto social criando uma galeria de imagens de família.
No Musée d'Orsay, em Paris existe uma secção importante sobre esta invenção e a partir do projeto europeu Daguerreobase, já foram encontrados 31.000 daguerreótipos e em 2015 já tinham sido introduzidos nesta base cerca de metade.

Encontre documentos sobre daguerreotipia e daguerreótipos em sala de leitura da base de dados do Arquivo, utilizando as palavras-chave de pesquisa:

Técnicas e processos fotográficos, daguerreotipia, daguerreótipos, retrato fotográfico



BIBLIOGRAFIA



Leia mais sobre este assunto:
  • AMAR, Pierre-Jean - La photographie: histoire d'un art. Aix-en-Provence: Édisud, cop. 1993.
  • CONSUMER Guide photographic equipment test reports. New York: Lawrence Teeman, 1972.
  • DAGUERRE, Louis Jacques Mandé - An historical and descriptive account of the various processes of the daguerréotype and the diorama. London: Mc Lean, 1839.
  • DIE EROTISCHE daguerreotypie. Weingarten: Kunstverlag Weingarten, 1989.
  • ENCUENTROS INTERNACIONALES DE FOTOGRAFÍA, Huesca, 1995 - Huesca imagen. Huesca: Diputación , 1995.
  • GERNSHEIM, Helmut - A concise history of photography. London: Thames and Hudson, cop. 1965
  • HENRY, Jean-Jacques - Photographie, les débuts en Normandie. Le Havre: Maison de la Culture du Havre, 1989
  • LÓPEZ MONDÉJAR, Publio - 150 AÑOS de fotografía en España. 3ª ed. Barcelona: Lunwerg Editores, cop. 1999.
  • MUSÉE. Carnavalet, Paris - Paris et le daguerréotype. Paris: Paris-Musées, 1989.
  • SNELLING, Hunter Henry - The history and practice of the art of photography. Hastings-on-Hudson, N.Y.: Morgan & Morgan, 1970.
  • SZARKOWSKI, John, 1925-2007 - Photography until now. New York: Museum of Modern Art, 1989.




AGENDA