Notícias do Arquivo | Fevereiro 2020

 
 
 

Subscrever      


Contos Contos de Lisboade Lisboa
Exposição de fotografia de Mónica de Miranda

"Esta exposição condensa as possibilidades e sonhos de lugares e tempos da própria reinvenção da identidade e da história."*

Inaugura a 18 de fevereiro no Arquivo Municipal de Lisboa | Fotográfico, a exposição de Mónica de Miranda "Contos de Lisboa", que conta  com a curadoria de Bruno Leitão e Sofia Castro.

Esta mostra  "propõe encontrar uma forma de entender o arquivo não como algo estático, mas pelo contrário como algo em mutação. Um arquivo que provoque uma releitura da história da cidade e das suas identidades, a memória dos seus territórios, dos seus processos de resistência e afirmação. Um arquivo que mostra uma cidade que se reivindica também por se reinventar."*

Há cerca de 10 anos, a artista iniciou este projeto, fotografando vários bairros localizados ao longo da denominada Estrada Militar, alguns dos quais foram, entretanto, demolidos. 6 de Maio, Azinhaga dos Besouros, Fim do Mundo, Mira Loures ou Talude, são alguns desses locais.

No entanto, nesta exposição não serão mostradas  as imagens captadas nesses Bairros, mas imagens trabalhadas por Mónica de Miranda após um "processo artístico de reflexão sobre uma geografia composta por várias geografias, um tempo que se explica em muitos tempos"*. 

Uma exposição a visitar na rua da Palma  até 16 de maio, de segunda a sábado, entre as 10h00 e as 19h00.

* Bruno Leitão

Arquivo Municipal de Lisboa | Fotográfico
Rua da Palma, 246 - 1100-394 Lisboa
Inauguração: 18 de fevereiro, 18h30
Exposição: 19 de fevereiro a 16 de maio
Visitas guiadas: 14 de março e 16 de maio, 15h00 
(Sujeitas a marcação prévia: 218 844 060 / arquivomunicipal.servicoeducativo@cm-lisboa.pt)
Entrada livre
Chamada para vídeos até 15 de abril
Primeiro festival ecovídeo de Lisboa

Encontra-se aberta a chamada para vídeos para o primeiro festival ecovídeo de Lisboa: Lisboa Natura 2020. Este festival é promovido pelo Arquivo Municipal de Lisboa | Videoteca e está inserido no programa da Lisboa Capital Verde Europeia 2020.

Tomando a linguagem vídeo como suporte criativo, Lisboa Natura 2020 assume-se como uma proposta de leitura, registo e memória da Natureza na cidade de Lisboa, que incentiva a documentação de realidades do mundo natural passado e presente mas também de novas paisagens, sentidos e conteúdos, possíveis ou idealizáveis.

Os conteúdos temáticos deverão incluir, por exemplo,  a memória ambiental e/ou novas imagéticas; o espaço público do município – e.g. jardins, parques, miradouros, ruas, Tejo e zona ribeirinha; espaços interiores do município – e.g. património histórico e cultural; dicotomia espaço público/espaço privado; dialogia espaço natural/espaço urbano; imaginar/sugerir novos cenários e situações ideais para a cidade; utopias e distopias; domínios científico, artístico, ativista; a luz, o som; ambientes da cidade e o arquivo natural.

 A chamada para vídeos encontra-se aberta até 15 de abril, através de formulário próprio disponível online. 

Saiba mais sobre a iniciativa e conheça as regras para inscrição.

Saber mais


Próxima edição da TRAÇA será em maio                                    Sessões preparatórias decorrem este mês em Marvila

A próxima edição da TRAÇA – Mostra de Filmes de Arquivos Familiares irá decorrer em maio num percurso entre Marvila e Alvalade.

No sentido de preparar esta edição, irão decorrer entre os dias 12 e 16 de fevereiro, sessões de trabalho em vários bairros de Marvila.

Em cada sessão será desenvolvido e discutido um mapeamento imaginário de Lisboa e da localização de cada bairro no todo da cidade assim como, por outro lado, será desenvolvido um mapeamento dos percursos - quotidianos e históricos - dos habitantes da Freguesia de Marvila. 

As sessões serão  momentos particularmente dirigidos à população dos vários bairros onde terão lugar, mas também abertas a todos os participantes interessados em discutir a representação da cidade (e as ausências nessa representação). 

Cada sessão será iniciada com a projeção de excertos de coleções de filmes de família depositadas no Arquivo Municipal de Lisboa | Videoteca e material de trabalho permanente da TRAÇA.

Evocação dos 50 anos da morte de Cassiano Branco
Efeméride é assinalada por diversas iniciativas ao longo do ano

"Olhar Cassiano" reúne ao longo de 2020 um conjunto de iniciativas através das quais se irá assinalar os 50 anos da morte do Arquiteto Cassiano Branco, de cujo espólio somos detentores. 

Um concurso de fotografia, um colóquio nacional, uma exposição de fotografia, atividades do serviço educativo e a pintura de um mural de arte urbana em Lisboa, serão algumas das ações que irão decorrer ao longo do ano, e que terão início a partir de abril.

Convidamo-lo desde já a conhecer a vida e obra deste arquiteto, "um homem à frente do seu tempo" que nos deixou uma vasta e diversificada obra de grande riqueza formal, desenvolvida entre meados dos anos 20 e o final da década de 1960, que o afirmou como um dos arquitetos que mais indelevelmente marcaram não só a primeira geração moderna, mas a história da arquitetura portuguesa da primeira metade do século XX, de que é, seguramente, um dos mais conhecidos e estudados.

Bilhete para passeio Fluvial no Tejo
Congresso Municipalista de 1909

Este bilhete faz parte da documentação de arquivo da Sociedade Promotora de Educação Popular (S.P.E.P.), uma associação recreativa e de ensino fundada em Alcântara a 30 de setembro de 1904. O documento remete-nos para um acontecimento político importante que ocorreu em Lisboa no início do século XX: o Congresso Municipalista de 1909.

 Do acervo da Sociedade Promotora de Educação Popular fazem parte outros documentos de relevante interesse histórico, os quais desvendam a história de uma associação centenária, consagrando a sua importância na vida de uma comunidade. 

Considerando a relevância deste ‘Arquivo de comunidade’, reconhecendo a sua importância para a salvaguarda da memória coletiva, em maio de 2019 foi celebrado entre o Arquivo Municipal de Lisboa e a Sociedade Promotora de Educação Popular um acordo de colaboração, com o objetivo de  assegurar a salvaguarda de uma importante fonte de informação histórica, política e cultural, tornando-a acessível ao público.

Desde a celebração deste acordo prosseguem os trabalhos de inventariação, seleção, estudo e tratamento documental do acervo com significado cultural, bem como a recolha de memórias sobre a instituição.
Documento do mês
Bairros de Lisboa

A necessidade de subsistência da raça humana, desde os seus primórdios, tendo como princípios basilares a alimentação, o abrigo e a ordem social, tem operado profundas transformações na paisagem onde se insere, num constante desafio às suas capacidades de fazer mais e melhor, colocando-se numa escala de progresso imparável.

O consequente movimento demográfico tem promovido diversos tipos de aglomerados populacionais por todo o mundo e entre eles encontram-se os bairros, normalmente localizados no seio das cidades. Verdadeiras comunidades, os bairros foram-se afirmando ao longo do tempo, sobretudo, através do seu perfil sociocultural e da sua estrutura arquitetónica.

Indo ao encontro do último número da revista científica "Cadernos do Arquivo Municipal", dedicada ao tema "Bairros do Lisboa: perspetivas da história e desafios futuros", que contou com a coordenação de Raquel Henriques da Silva e Margarida Elias, neste "Vale a pena ler" disponibilizamos uma seleção de publicações onde se constatam as diferentes abordagens suscitadas por este tema, um importante contributo para o conhecimento da história e da identidade da cidade de Lisboa. Entre os diversos assuntos tratados constam a arquitetura, a reabilitação urbana, a arte urbana assim como, sociabilidades, dinâmica cultural e toponímia.

Saber mais

Próximo mês


Tome notaTome nota

Conversas foto-fílmicas
Com "Colectivo Gato Aleatorio" e Francisco Tropa   
Contos de Lisboa
Visita guiada pelos curadores

SítioFacebookEndereço eletrónicoInstagramTwitter
Câmara Municipal Lisboa | Direção Municipal Cultura | Departamento Património Cultural | Divisão Arquivo Municipal

AGENDA