Notícias do Arquivo | Junho 2020

 
 
 

Subscrever         


Reabertura dos serviços ao públicoExposição de fotografia Contos de Lisboa
Regras de funcionamento

Com o levantamento das medidas de confinamento no âmbito do combate à pandemia Covid-19, o Arquivo Municipal de Lisboa voltou a abrir as suas portas ao público no início no dia 18 de maio. As salas de leitura já estão em funcionamento presencial (via agendamento prévio) e a exposição Contos de Lisboa de Mónica de Miranda já pode voltar a ser visitada, de segunda a sexta-feira, entre as 13h30 e as 16h30, e até 3 de outubro.

Com vista a assegurar as condições de segurança para colaboradores e visitantes, e em respeito pelas orientações da Direção Geral de Saúde e do Executivo Camarário, foram adotadas as seguintes medidas:

  • No acesso à documentação (consulta e reprodução) continuamos a privilegiar o atendimento ao público através da Loja Lisboa;
  • O atendimento presencial nas Salas de Leitura é assegurado no horário compreendido entre as 10:00h e as 13:30, mediante agendamento prévio;
  • O acesso à sala de exposições no Arquivo Fotográfico está limitado à lotação máxima de 5 pessoas em simultâneo e decorre entre as 13:30 e as 16:30;
  • Nos espaços do Arquivo, é obrigatório o uso de máscara e o respeito pelo distanciamento de segurança;
  • É assegurada a desinfeção dos espaços e dos postos de consulta após cada utilização;
  • Encontra-se condicionado a acesso ao público nos seguintes moldes:
    • Controlo de acessos, considerando a lotação máxima permitida em cada sala;
    • É obrigatório o uso de proteção individual;
    • O atendimento presencial é feito exclusivamente por agendamento.
Para obter informação mais detalhada consulte o nosso site.
Anúncio 5/2020
Regulamento do Arquivo Municipal
Anúncio 5/2020

Na reunião da Câmara Municipal de Lisboa de 30 de abril de 2020, foi aprovada a deliberação 180/CM/2020, que dá início ao procedimento de elaboração do novo Regulamento do Arquivo Municipal de Lisboa.

Até 15 de junho, poderão ser apresentados por escrito contributos e sugestões para a elaboração deste regulamento. Para tal terá de utilizar o requerimento disponível on-line, dirigido ao Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, e enviá-lo por correio eletrónico para dmc.dpc.dam@cm-lisboa.pt ou via postal para a Direção Municipal de Cultura.

Alçado principal do Hotel Vitória, Cassiano Branco, 1934 | Código de referência: PT/AMLSB/CB/08/02/04

Olhar Cassiano
Concurso de fotografia

Assinalamos em 2020 o 50º aniversário da morte do Arquiteto português Cassiano Branco, cujo espólio se encontra à nossa guarda.
Iremos assim levar a efeito um programa diversificado de iniciativas que permitirão olhar para este arquiteto sob várias perspetivas e conhecer melhor a obra que nos legou.

Olhar Cassiano é também o título do concurso de fotografia que agora se inicia e para o qual recebemos propostas até 30 de agosto.

O concurso tem como objetivos sensibilizar o público em geral para a arquitetura de Cassiano Branco em Portugal; desafiar a descoberta e divulgação de facetas menos visíveis da sua arquitetura e promover a fotografia de arquitetura como meio de expressão. As fotografias deverão refletir, considerando a sua composição e/ou enquadramento, o registo das manifestações, características ou especificidades das obras arquitetónicas deste arquiteto em Portugal.

Associaram-se a esta iniciativa o Instituto Português de Fotografia, a revista zOOm, a Niobo e o Hotel Britania, onde serão entregues os prémios deste concurso a 3 de dezembro.

Do júri fazem parte Fernando Guerra, Francisco Feio, Luís Pavão, Maurício Reis e Hugo Pinho e Paulo Tormenta Pinto, que é também o coordenador científico do colóquio nacional Cassiano Branco, 50 anos depois que irá decorrer em novembro na Fundação Calouste Gulbenkian.

Consulte o regulamento do concurso no nosso site e conheça a programação prevista para toda a iniciativa "Olhar Cassiano" disponível no nosso site.
Saber mais
Cadernos do Arquivo Municipal nº 13 já disponível on-lineFumigação de cortiça, Junta Nacional dos Resinosos, Alentejo, Artur Pastor [ca 1960] | Código de referência: PT/AMLSB/ART/022316
Indústria e operários nos séculos XIX e XX

"No dealbar do século XIX, Lisboa já era a maior cidade portuguesa há muito tempo, e se o seu ritmo de crescimento não lhe permitiu seguir os ritmos Europeus, a sua supremacia em termos nacionais saiu reforçada. Os seus limites foram alargados nos anos oitenta do século XIX e precisados no início do século XX, quando a suburbanização já se afirmava. Em 2003 a metrópole, em gestação desde os anos setenta, traduziu-se numa nova entidade legal sem, porém, anular o poder dos municípios reafirmado após Vinte e Cinco de Abril de 1974. É sobre a história deste espaço que incide a maior parte dos artigos."

Magda de Avelar Pinheiro

Está disponível on-line o número 13 da revista científica Cadernos do Arquivo Municipal, o qual se apresenta num novo formato. O objetivo é o de permitir a um maior número de investigadores a publicação dos seus estudos, e também procurar corresponder ao que é atualmente expectável por parte das revistas científicas indexadas e em acesso aberto.

A partir deste número, com eventual exceção para números especiais, esta revista irá incluir um Dossier Temático, assim como uma secção de artigos que reunirá um conjunto de textos extra tema, propostos para publicação. Em ambas as secções, os artigos serão sujeitos ao processo de double blind peer-review, para o qual continuaremos a contar com a colaboração da comunidade científica nacional e internacional.

Passa também a ser possível a submissão de artigos sem referência a fontes do Arquivo Municipal de Lisboa.

Esta mudança surge devido à cada vez maior internacionalização dos Cadernos, permitindo que autores de língua estrangeira e/ou afiliados em centros de investigação de outros países, possam também divulgar os seus trabalhos científicos nesta revista.

A Documenta vai continuar a apresentar uma seleção de documentos do nosso acervo, relacionados preferencialmente com o Dossier Temático do número onde se insere. A Varia vai reunir, em exclusivo, artigos de divulgação (sem peer-review) destas fontes. Estas secções são o veículo por excelência da disseminação do acervo do Arquivo da Câmara Municipal de Lisboa, beneficiando da crescente exposição internacional da revista.

É este o novo formato que apresentamos, cujo dossier temático incide sobre a indústria e operários nos séculos XIX e XX, o qual resultou do desafio lançado à Professora Doutora Magda de Avelar Pinheiro, que assumiu a sua coordenação científica.

Saber mais
[Assento sobre os livros da entrada do rei] | Código de referência: PT/AMLSB/CMLSBAH/CHC/015/004/0370
Viagem de Filipe II a Portugal
Contribuição para o estudo da circulação do Livro da Jornada

O documento escolhido para apresentar neste mês de junho integra o Livro 3º de assentos do Senado, incorporado na série Chancelaria da Cidade.
Trata-se de um pequeno, mas singular, documento composto, que pode contribuir para aprofundar o conhecimento da circulação de impressos na Época Moderna, e providenciar luz em dois aspetos: de uma forma mais particular, sobre as vicissitudes que rodearam a edição do relato da viagem que Filipe II fez a Portugal em 1621, e de forma mais ampla, trazer informações sobre os destinatários que foram abrangidos pela distribuição deste livro em Portugal.

Os livros sobre viagens, visitas e entradas de monarcas em territórios e cidades dos reinos, é um tipo de literatura que está interligada com as estratégias de afirmação e projeção do poder político dos monarcas na Época Moderna. Rodeadas de fausto e pompa, as cerimónias envolviam um conjunto de eventos, personalidades e festas, cuidadosamente planeados ao mais ínfimo pormenor por vários elementos da confiança do rei. A ritualização destes eventos envolvia ainda uma cuidadosa linguagem visual e iconográfica, através de dispositivos cénicos e de arquitetura efémera, que prolongava o poder e a presença do monarca.

Este documento cruza-se com outros existentes no nosso acervo, que nos indiciam algumas das circunstâncias e atribulações que o processo sofreu desde a impressão, à edição e distribuição do livro.
Próximo mês


Tome notaTome nota

Olhar Cassiano
Concurso de fotografia decorre até final de agosto
Contos de Lisboa - Mónica de Miranda
Exposição de fotografia

SítioFacebookEndereço eletrónicoInstagramTwitter

Câmara Municipal Lisboa | Direção Municipal Cultura | Departamento Património Cultural | Divisão Arquivo Municipal

pesquisa
 
AGENDA