Notícias do Arquivo | Outubro 2019

 
 
 

O Narcisismo das pequenas diferençasMiradas Paralelas
Pauliana Valente Pimentel

Pauliana Valente Pimentel vive em Lisboa, viaja e expõe regularmente, em Portugal e no estrangeiro, desde 1999, sendo reconhecida e premiada pelo trabalho que tem realizado, sobretudo na área da fotografia e do vídeo.

No âmbito de um trabalho desenvolvido durante uma residência artística, em 2017, em parceria com o Festival Tremor, o Festival Walk & Talk e a galeria Fonseca Macedo - Arte Contemporânea (Ponta Delgada), Pauliana Valente Pimentel produz a série fotográfica, que dá origem a esta mostra. O trabalho que apresenta assenta numa linha de continuidade com outros projetos anteriormente desenvolvidos nomeadamente, "Jovens de Atenas" (2012), "The Passenger" (2014), "Behaviour of Being" (2105), "Quel Pedra" (2016).

A exposição,
O Narcisismo das pequenas diferenças, apresenta através de 27 imagens desta série, uma narrativa visual centrada na vivência de alguns jovens açorianos. A temática dominante é o território insular, com preponderância nos comportamentos, na procura do belo e nas múltiplas situações do quotidiano onde se abordam conceitos como diferença, tolerância ou transgressão. As pessoas fotografadas pela autora questionam a "diferença” numa imagética distante do preconceito. A cumplicidade entre quem fotografa e é fotografado é potenciada pela vivência em comunidade e a aceitação do outro.

Pauliana V. Pimentel será também a convidada da sessão inaugural do segundo ano de colaboração entre o Observatório em Estudos Visuais e Arqueologia dos Media e o Arquivo Municipal de Lisboa.
A conversa partirá das imagens desta exposição, para abordar algumas das temáticas que a autora tem elaborado ao longo do seu percurso, como as relações entre indivíduos e grupos sociais, tocando em questões de liberdade, género e pertença.

Arquivo Municipal de Lisboa | Fotográfico
Rua da Palma, 246 - 1100-394 Lisboa
Inauguração: 17 de outubro, 18h30
Exposição: de 18 de outubro a 11 de janeiro de 2020
Conversas foto-fílmicas com Paulina V. Pimentel: 26 de outubro, 15h30
Entrada livre

| a imagem contextualizada || a imagem contextualizada |
Conversa de Mariana Pessoa e os autores
Inicia-se a 8 de outubro mais uma edição de | a imagem contextualizada |, uma iniciativa através da qual o Arquivo Municipal de Lisboa | Fotográfico convida jovens estudantes de fotografia a apresentar os seus trabalhos.

A abrir a mostra, Mariana Pessoa conversa com os autores Anita Marante, Francisca Soares, Juliana Campos, Rita Leite e Sebastião Costa, que expõem os seus trabalhos: "Around what is almost not happening", "Paisagem-memória", "Entropia", "Luz Oblíqua" e "2BTITLED".

A conversa terá lugar na sala de leitura e a mostra ficará patente ao público até 15 de novembro, de segunda a sexta-feira, entre as 9h30 e 17h00.

AML | Fotográfico
Rua da Palma, 246 - 1100-394 Lisboa
Conversa com os autores: 8 de outubro, 18h30
Exposição: de 9 de outubro a 15 de novembro
Entrada livre
BelarminoTopografias Imaginárias
O som da cidade no cinema | Sinfonia Urbana

A 6ª edição do ciclo Topografias Imaginárias é dedicada ao lado mais esquecido da criação cinematográfica e da vivência da cidade: o som.

Na sessão de outubro que irá decorrer no Grupo Desportivo da Mouraria, pelas 15h30, será visionado e comentado o filme "Belarmino", de Fernando Lopes. Bernardo Moreira, Manuel Jorge Veloso e Manuela Viegas, são os comentadores convidados.O filme completo será projetado às 17h30 no mesmo local.

Esta iniciativa resulta de uma parceria da Videoteca com o IFILNOVA/FCSH, no âmbito do projeto Fragmentação e Reconfiguração: a experiência da cidade entre arte e filosofia.
O ciclo Topografias imaginárias decorre até dezembro em vários locais da cidade. Consulte o programa completo aqui.
Grupo Desportivo da Mouraria
Travessa da Nazaré, 21- 1100-012 Lisboa
19 outubro, 15h30
Entrada livre


European Green CapitalLisboa Natura 2020
Festival ecovídeo decorrerá em 2020

Inserido no programa da Lisboa Capital Verde 2020, a Videoteca do Arquivo Municipal de Lisboa irá promover o primeiro festival eco-vídeo de Lisboa: Lisboa Natura 2020.

A partir do próximo mês de novembro será lançada a chamada para vídeos. Tomando a linguagem vídeo como suporte criativo, LISBOA NATURA 2020 assume-se como uma proposta de leitura, registo e memória da Natureza na cidade de Lisboa, que incentiva a documentação de realidades do mundo natural passado e presente mas também de novas paisagens, sentidos e conteúdos, possíveis ou idealizáveis.

Os conteúdos temáticos deverão incluir, por exemplo, a memória ambiental e/ou novas imagéticas; o espaço público do município – e.g. jardins, parques, miradouros, ruas, Tejo e zona ribeirinha; espaços interiores do município – e.g. património histórico e cultural; dicotomia espaço público/espaço privado; dialogia espaço natural/espaço urbano; imaginar/sugerir novos cenários e situações ideais para a cidade; utopias e distopias; domínios científico, artístico, activista; a luz, o som; ambientes da cidade e o o arquivo natural.
Fotomontagem com fotografias de Joshua BenolielChamada para artigos
Cadernos do Arquivo Municipal Nº 13, "Indústria e operários nos séculos XIX e XX"

Encontra-se aberto o período de receção de propostas de novos artigos para o número 13 da revista científica CADERNOS DO ARQUIVO MUNICIPAL.

Dedicado ao tema "Indústria e operários nos séculos XIX e XX", este número terá a coordenação de Magda de Avelar Pinheiro (CIES/ISCTE) e pretende recolher propostas de artigos que contribuam para o estudo da indústria e dos operários nos séculos XIX e XX.

Paz e guerra, progressismo, nacional-socialismo, anarco-sindicalismo, ou a social-democracia, mobilizaram os trabalhadores e a indústria de formas variadas, e muitas vezes insustentavelmente violentas. Campo e cidade tiveram os seus tempos industriais áureos em conjunturas e geografias diferentes, mas não devemos esquecer que as maiores cidades como Lisboa ou o Porto cresceram absorvendo lugares e mesmo vilas até se tornarem em metrópoles.

Data limite de entrega: 31 de janeiro de 2020
Informações: am.cadernos@cm-lisboa.pt | Telef. +351 213 807 100

Cinema Vídeo
[Carta da Câmara da cidade de Lisboa a solicitar a D. Filipe I que a ajuda a pobres e enfermos fosse custeada pela fazenda régia] | Código de referência: PT/AMLSB/CMLSBAH/CHR/003/0103/00058Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza

Carta da Câmara da cidade de Lisboa a solicitar a D. Filipe I que lhe concedesse mercê para que a ajuda a pobres e enfermos fosse custeada pela fazenda régia, alegando que a esmola dos fiéis e as rendas da Cidade eram insuficientes para prestar assistência a todas as pessoas que acometiam à capital do reino, enfermas, sem alimento e a pedir esmola.

Em 1992, a Assembleia Geral das Nações Unidas decretou 17 de outubro como Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza. A data teve e continua a ter como objetivo alertar para contextos de extrema pobreza e, em simultâneo, sensibilizar para a necessidade de se abordar o problema com particular enfoque nos direitos humanos.

Neste âmbito, o Arquivo Municipal de Lisboa evoca um documento de 18 de abril de 1598, cujo teor se relaciona com a temática. Trata-se de um testemunho, entre outros, reunido na série de registo de provisões régias do núcleo documental Chancelaria Régia, que relata cenários de pobreza na capital do reino nos finais da centúria de quinhentos. Agrega ainda medidas propostas pela Câmara de Lisboa de forma a obstar à falta de meios para prestar assistência e cuidados de saúde a um avultado setor da população que entrava e deambulava pela cidade, enfermo e sem alimento.

Próximo mês
Tome notaTome notaTome nota
Topografias imaginárias
Visionamento comentado de "Kilas, o mau da fita"
Lisboa Natura 2020 - Festival eco-vídeo
Chamada para vídeos
10ª Feira do Livro de Fotografia
Dias de Festa?

SítioFacebookEndereço eletrónicoInstagramTwitter

Câmara Municipal Lisboa | Direção Municipal Cultura | Departamento Património Cultural | Divisão Arquivo Municipal


AGENDA