Agenda

 
TOPOGRAFIAS IMAGINÁRIAS | Arquitetura III
2017-05-16 2017-05-16
AML | Videoteca

O Fantasma, João Pedro Rodrigues (2000), 90'

Comentado por:
Rui Poças (diretor de fotografia)
Patrícia Santos Pedrosa (arquiteta)
Ana David  (programadora de cinema)

Já na viragem da década de 90, o filme de João Pedro Rodrigues entra de rompante no panorama do cinema português. Numa tensão permanente entre o que se tem e o que se deseja, Lisboa, maioritariamente noturna, acolhe os prazeres e a crueza das obsessões sexuais de um cantoneiro que vive enclausurado no seu próprio corpo. Num tom quase subterrâneo divagamos e rastejamos ao ritmo de um instinto puro que, acentuado pela presença dos cães, nivela o campo de visão. A cidade do Fantasma intui-se, sem verdadeiramente se mostrar, os olhares procuram o outro lado de uma barreira e os lugares espreitam-se, sorrateiramente transgressores, através de uma segunda pele de que a personagem se cobre para poder existir.



Em simultâneo, nos postos individuais de visionamento
He Liu [O Rio], Tsai Ming-Liang (1997), 115’
Doc’s Kingdom, Robert Kramer (1987), 92’
Odete, João Pedro Rodrigues (2005), 97’




[O Fantasma]

[O Fantasma]

[O Fantasma]






Depois de num primeiro ano o ciclo TOPOGRAFIAS IMAGINÁRIAS ter descrito um percurso tanto temporal como espacial pela cidade de Lisboa, fazendo uma história do traçado da cidade tal como tem sido imaginado pelo cinema, e de na segunda edição se ter feito uma viagem pelo seu interior: como é que os espaços interiores foram captados pelo cinema e que papel têm eles nos filmes que os integram?, neste terceiro e último ciclo dedicado à "Arquitetura" veremos a cidade dos programas anteriores a ser deixada para trás: já não se verá uma cidade na melancolia da transformação (como no primeiro ciclo), nem propriamente uma cidade imaginada a partir de um interior (como no segundo), será vista uma cidade a extravasar os seus limites, ou a transbordá-los, para usar já uma imagem aquática – à deriva, é uma boa palavra para falar destes filmes.
Avançamos então para uma Lisboa reinventada a partir das suas margens...

Uma co-programação Arquivo Municipal de Lisboa - Videoteca / Arquiteturas Film Festival (Alexandra Areia e Inês Monteiro)



 
Parceria
Arquiteturas

 

AGENDA