Agosto 2014

 
 
 
 

Mercado da Ribeira Nova, projeto de Ressano Garcia

Descrição:Mercado da Ribeira, fotografia de Eduardo Portugal
Projeto para o Mercado da Ribeira Nova

Data: 20/04/1876

Códigos de referência:
  • Fotografia de Eduardo Portugal: PT/AMLSB/EDP/001348
  • Projeto Ressano Garcia: PT/AMLSB/CMLSB/UROB/PU/10/435 (f.3)

O Arquivo Municipal de Lisboa tem à sua guarda documentação de valor inestimável para o estudo da expansão e renovação urbana da cidade de Lisboa.
Destacam-se, por exemplo, os documentos produzidos na época em que Frederico Ressano Garcia exerceu o cargo de engenheiro na Câmara Municipal e, mais tarde, assumiu a chefia da repartição técnica, reorganizando o departamento técnico da Câmara de Lisboa, conseguindo dotá-lo de alguma autonomia relativamente ao poder político.

Frederico Ressano Garcia nasceu em Lisboa no dia 12 de Novembro de 1847 e morreu em Lisboa a 27 de Agosto de 1911. Foi engenheiro e professor de engenharia, político e administrador, tendo-se destacado por dirigir a expansão e renovação urbana da cidade de Lisboa no último quartel do século XIX.

Retomou as ideias da expansão urbana na cidade de Lisboa, latentes desde o tempo do Marquês de Pombal e elaborou um plano sistemático de expansão da cidade para norte, a partir das margens do Tejo, tendo como eixo principal uma larga avenida, a atual avenida da Liberdade.
Na execução do seu plano de expansão e melhoria da salubridade da cidade, projetou e conduziu a avenida 24 de Julho, de Santos a Alcântara, a construção da avenida da Liberdade, inaugurada em 1879, a conclusão do edifício da Câmara Municipal, a praça do Marquês de Pombal, o mercado da Ribeira Nova.
São também da sua iniciativa, os bairros de Campo de Ourique e Estefânia e um vasto conjunto de avenidas, ruas, bairros e parques sitos entre o Marquês de Pombal e o Campo Grande, conhecido por Avenidas Novas.

Esta verdadeira revolução urbanística, a maior intervenção de planeamento urbano levado a cabo em Lisboa depois do fim da reconstrução da cidade que se seguiu ao terramoto de 1755, testemunha o urbanismo progressista de Ressano Garcia desenvolvido nos seus projectos.

Mercado da Ribeira, projeto
Destacando um dos seus inúmeros projetos, temos o Mercado da Ribeira Nova.
Lisboa foi sempre uma cidade de mercadores e com os descobrimentos acentuou-se ainda mais esse pendor mercantilista. 
Assim, no século XVI surgiu o Mercado da Ribeira Velha, situado na zona do atual Campo das Cebolas, visando a colocação dos mercadores em locais específicos. Em 1766, o mercado foi transferido para ocidente do Terreiro do Paço (onde se encontra atualmente) devido ao plano de expansão da cidade traçado pelo Marquês de Pombal e foi chamado de Mercado da Ribeira Nova.

Foi no século XIX, em 1882 que abriram portas depois das obras propostas no projeto de Ressano Garcia. O nome manteve-se, mas nasceu um edifício com uma estrutura em ferro que albergava no seu interior todas as bancas e com uma grande novidade, a existência de um corredor central, onde os mercadores dispunham as mercadorias com cuidados de higiene que anteriormente não existiam.

O Mercado da Ribeira Nova (atualmente mais conhecido como Mercado da Ribeira, situa-se no mesmo local, hoje denominado Avenida 24 de Julho), projeto aprovado em sessão camarária de 17/06/1876.

No documento que este mês destacamos, é possível ver o corte transversal das habitações do Mercado da Ribeira Nova. Esta planta faz parte de um projeto constituído por dois álbuns de grandes dimensões, com plantas repetidas em papel aguarelado e tela.

Encontre outros documentos na base de dados do Arquivo Municipal de Lisboa utilizando as palavras-chave de pesquisa: Ressano Garcia, engenheiro, Mercado, Ribeira Nova, Av. 24 de Julho, Av. da Liberdade, Estefânia, Campo de Ourique, Avenidas Novas .



Bibliografia:

ESTEVES, Joaquim Moura – Engenheiros na toponímia de Lisboa. Lisboa: CML/IM, 1997, p. 157-158.

FRANÇA, José-Augusto – Lisboa: Urbanismo e arquitetura. Lisboa: Livros Horizonte, 1997. 119 p.

GAGO, Rita – "O surgimento do conceito de urbanismo: teorias e práticas na Câmara Municipal de Lisboa”. In Cadernos do Arquivo Municipal. Lisboa: CML/AML, 2005. Vol. 8, p. 80-95.

GRANDE ENCICLOPÉDIA PORTUGUESA E BRASILEIRA. Lisboa; Rio de Janeiro: Editorial Enciclopédia, [19--]. Vol. XXV, p. 302-303.

LISBOA, Maria Helena – Os engenheiros em Lisboa. Urbanismo e arquitetura (1850-1930). Lisboa: Livros Horizonte, 2002. 293 p.

PAIXÂO, Rui Alexandre Gamboa – A descrição de produtores de documentos de arquivo no contexto da normalização arquivística: a Repartição Técnica e o Serviço Geral de Obras Públicas da Câmara Municipal de Lisboa. Lisboa: APBAD; AML. 2007. 72 p. Relatório de estágio apresentado no V Curso de técnicos profissionais de arquivo da Associação portuguesa de bibliotecários, arquivísticas e documentalistas como prova de capacidade científica (contem anexos).

RODRIGUES, Isabel Maria – "As avenidas de Ressano Garcia” In: Lisboa urbanismo. Ano 3, nº 13 (Set./Outubro 2000), p. 20-23.

RODRIGUES, Isabel Maria – "As avenidas de Ressano Garcia” In: Lisboa urbanismo. Ano 3, nº 14 (Nov./Dezembro 2000), p. 30-34.

RODRIGUES, Isabel Maria – "Edificação das avenidas de Ressano Garcia” In: Lisboa urbanismo. Ano 4, nº 15 (Jan./Abril 2001), p. 10-15.

RODRIGUES, Isabel Maria – "Edificação das avenidas de Ressano Garcia” In: Lisboa urbanismo. Ano 4, nº 16 (Maio/Junho 2001), p. 28-33.

SILVA, Raquel Henriques da – Lisboa de Frederico Ressano Garcia 1874-1909. Lisboa: Câmara Municipal, 1989. 93 p.


AGENDA