Junho 2016

 
 
 
 
Sport Lisboa e Benfica

Código de referência: PT/AMLSB/JBN/002487













Descrição: Equipa do Sport Lisboa e Benfica, no campo da Feiteira
Data: 23 de janeiro de 1910
Código de referênciaPT/AMLSB/JBN/002487

A fotografia, de 23 de janeiro de 1910, um negativo de gelatina e prata em vidro, com 9 x 12 cm, apresenta 11 jogadores da equipa de futebol Sport Lisboa e Benfica, antes do início do jogo contra o Clube de Carcavelos, no campo da Feiteira, arbitrado por Eduardo Pinto Basto. Cosme Damião era o capitão da equipa.

O Sport Lisboa e Benfica foi fundado a 28 de fevereiro de 1904, mas a ideia da formação de um clube tinha vindo a ser pensada nos meses anteriores, por dois grupos que habitualmente treinavam e jogavam em Belém: o grupo dos Catataus, os irmãos Rosa Rodrigues, moradores no prédio da farmácia Franco, a que se juntaram Manuel Gourlade e Daniel dos Santos Brito, empregados da farmácia e a Associação do Bem, formada por ex-casapianos, que se encontravam para jogar futebol, entre outros fins. 

Em 13 de dezembro de 1903, o grupo dos Catataus, reforçado por alguns elementos da Associação do Bem, conseguiu uma inesperada vitória (1-0) num jogo-desforra frente ao grupo dos Pinto Basto (mais tarde CIF ou Internacional). No almoço que se seguiu, no Café do Gonçalves, os elementos vitoriosos celebraram o triunfo (frente a uma equipa que até integrava jogadores ingleses) e houve quem sugerisse a criação de um novo "team”, tornando efetiva a ligação então estabelecida. Ao longo de dois meses e meio a ideia foi criando raízes, foram-se definindo os símbolos do clube (nome, cores, emblema) e marcou-se, para 28 de fevereiro de 1904, a data da reunião que marcaria o nascimento daquele que viria a ser o Glorioso Sport Lisboa e Benfica.

Na manhã desse dia, realizou-se um treino, entre as 11 e as 12.30 horas, nos terrenos da CP, entre a linha férrea Cais do Sodré - Cascais e as traseiras da casa de praia do Duque de Loulé, onde fica atualmente o Centro Cultural de Belém. Nele participaram os seguintes dez elementos: António Rosa Rodrigues, Cândido Rosa Rodrigues, José Rosa Rodrigues, Daniel Brito, Eduardo Corga, Henrique Teixeira, Carlos França, Abílio Meirelles, Amadeu Rocha e Manuel Gourlade. Como habitualmente, a seguir aos treinos, estes (e outros) elementos reuniram-se para almoçar em Belém, após o que se dirigiram para a farmácia Franco, na rua de Belém, nº 20, para a reunião decisiva, já com a presença de outros elementos previamente contactados mas que não participaram no treino matinal. 
Segundo a lista da reunião (atribuída a Cosme Damião), são fundadores do clube, para além dos dez elementos presentes no treino matinal mais os seguintes: António Severino, Francisco Calisto, Francisco dos Reis Gonçalves, João Gomes, João Goulão, Joaquim Almeida, Joaquim Ribeiro, Jorge Augusto Sousa, Jorge da Costa Afra, José Linhares, Manuel França, Raul Empis, Virgílio Cunha e Cosme Damião, o elemento que viria a tornar-se o principal dirigente das primeiras décadas da vida do novo clube. Esses 24 elementos escolheram entre eles, nessa histórica reunião, José Rosa Rodrigues como presidente, Daniel Brito como secretário e Manuel Gourlade como tesoureiro.

O primeiro campo de jogos foi na quinta da Feiteira. Nos anos seguintes, devido a dificuldades financeiras, inúmeros jogadores da primeira equipa abandonaram o Benfica para o Sporting Clube de Portugal, que gozava de grande desafogo económico, iniciando-se, desta forma, a rivalidade entre os dois clubes que perdura até à atualidade. Essas dificuldades contribuíram ainda para que, em 1908, o Sport Lisboa se fundisse com o Grupo Sport Benfica, clube que tinha como atividade o ciclismo, levando à forma definitiva do atual emblema, com a introdução da roda de bicicleta, e ao nome pelo qual passou a ser conhecido a partir dessa data: Sport Lisboa e Benfica.

Ainda assim, devido às limitações financeiras, o Benfica mudou-se, em 1913, para Sete Rios e, em 1917, para o campo de Benfica, onde, dois anos mais tarde, se realizava, pela primeira vez na Península Ibérica, o primeiro jogo de futebol noturno. 
Finalmente, em 1925, foram adquiridos terrenos nas Amoreiras e construído o campo de futebol com capacidade para 15.000 espectadores, onde o clube veio a conquistar os primeiros títulos nacionais.

Desde a época em que foi captada esta fotografia, o Sport Lisboa e Benfica tornou-se um clube desportivo, cujo ecletismo, historial e forte base de adeptos fazem dele, a par do Futebol Clube do Porto e do Sporting Clube de Portugal, um dos maiores clubes de Portugal e um dos mais prestigiados a nível mundial. Neste sentido, e cingindo-nos apenas ao futebol, o Sport Lisboa e Benfica conquistou 35 Campeonatos Nacionais/I Liga, 25 Taças de Portugal, 5 Supertaças Cândido de Oliveira e 7 Taças da Liga que fazem dele o mais titulado em Portugal. 

Em termos internacionais, o Sport Lisboa e Benfica venceu, em 1960-1961 e no ano seguinte, duas Taças dos Campeões Europeus/Liga dos Campeões, tendo sido finalista vencido em cinco ocasiões, o mesmo sucedendo, por três vezes, na Taça UEFA/Liga Europa.

Ao longo da sua história, o Sport Lisboa e Benfica recebeu do Governo e de outras entidades públicas vários títulos e condecorações, nomeadamente: Instituição de Utilidade Pública, Comendador da Ordem Militar de Cristo, Oficial da Cruz de Benemerência, Ordem da Benemerência da Cruz Vermelha, Medalha de Ouro e Mérito Turístico, Medalha de Mérito Desportivo, Medalha de Ouro da Cidade de Lisboa e Medalha da Ordem do Infante D. Henrique.


Encontre outros documentos na base de dados do Arquivo , utilizando as palavras-chave de pesquisa: Sport Lisboa e Benfica, Futebol, Equipa.



Leia mais sobre este assunto:

LISBOA. Câmara Municipal. Direção Municipal da Cultura. Arquivo Fotográfico – Uma Cidade de Futebol. Lisboa: Arquivo Fotográfico Municipal; Assírio e Alvim, 2004.

MALHEIRO, João. Benfica – Benfica – No Pico da Europa. Lisboa: Verso da História, 2010.

MALHEIRO, João. Benfica – Campeão com História. Lisboa: Quidovini, 2010.

MALHEIRO, João. Memorial Benfica – 100 Glórias. Lisboa: Quidovini, 2010.


MALHEIRO, João. Benfica – O Império Vermelho: 1904-2009. Lisboa: Quidovini, 2009.

OLIVEIRA, Mário Fernando de; SILVA, Carlos Rebelo da. História do Sport Lisboa e Benfica: 1904-1954. Volume I. Lisboa: Paraíso do Livro, 1957.

SPORT LISBOA E BENFICA. [Em linha]. Lisboa. [Consult. 14 out. 2015]. Disponível na Internet: <URL: http://www.slbenfica.pt/>.


AGENDA