Notícias

 

DAS INVASÕES FRANCESAS À MONARQUIA CONSTITUCIONAL

Data: 2021-04-28




Catálogo
Ficará disponível em maio a edição online do catálogo de fontes documentais "Das Invasões Francesas à Monarquia Constitucional".

Esta edição reúne informação da Chancelaria Régia e da Chancelaria da Cidade compulsada com o objetivo de divulgar documentos de atos administrativos produzidos ao longo do século XIX, no âmbito das competências da Câmara de Lisboa e que, não obstante as circunstâncias políticas e institucionais que os moldaram, espelham formas de atuação e procedimentos em matéria de gestão municipal.

A publicação decorreu de um trabalho prévio de seleção, análise e tratamento documental realizado em torno das iniciativas associadas às comemorações do bicentenário da Revolução Liberal, evocado em dezembro do ano transato, e visou contribuir para o subsídio e consolidação de abordagens multidisciplinares atinentes ao período cronológico que antecede, acompanha e procede a Revolução de 1820.

Os 4.500 itens descritivos que se encontram agregados no catálogo evidenciam o percurso administrativo da capital do reino, em estreita correlação com os centros decisórios de poder político, e traduzem-se num cúmulo de matrizes que, perspetivadas para o Antigo Regime como processo gradativo de etapas revolucionárias, alicerçam, assistem, contribuem e propiciam a vigência do constitucionalismo monárquico português.




Legendas das imagens utilizadas na composição gráfica da capa:

Imagem 1
[Fotografia de Eduardo Alexandre Cunha do desenho a carvão da BNP, da série Invasões Francesas, com representação alegórica do restabelecimento da antiga ordem da Lusitânia em que a figura da desvanecida pátria portuguesa, iluminada por uma luz direcionada a partir do canto superior esquerdo, surge apoiada pelos aliados de nacionalidade inglesa e espanhola]

Imagem 2
[Fotografia de Mário Novais da gravura de Constantino Fontes com representação alegórica da União dos Governos do Porto e de Lisboa que, no dia 15 de setembro de 1821, confluem na praça do Rossio sob o estandarte da Constituição Política Portuguesa]



pesquisa
 
AGENDA