Notícias

 

Filmes premiados pelo Festival LISBOA NATURA 2020

Data: 2020-09-26



«(…) a seleção de vídeos apresentados é uma montra valiosa, um tubo de ensaio, para olhar e refletir a cidade, retratada num espaço de tempo que comportou o antes e o durante do período de confinamento, forçado pela pandemia.(…)» 
Fernando Carrilho, coordenador da Videoteca

O encerramento do primeiro Festival Ecovídeo de Lisboa – Lisboa Natura 2020, integrado na programação da Lisboa Capital Verde Europeia 2020,  decorreu hoje, dia 26 de setembro pelas 21h00 na Estufa Fria.
Organizado pela Videoteca do Arquivo Municipal de Lisboa, o Festival teve como objetivo promover a reflexão, discussão e disseminação de temáticas ambientais e animais especificamente relacionadas com a capital portuguesa.

Realizadoras e realizadores foram convidados a partilhar ideias sobre a Natureza da Cidade e na Cidade, a pensar esse espaço, vivenciado e percetível em retratos do real mas também nos domínios do desejável e do imaginado, tomando a linguagem vídeo como suporte criativo.

A Seleção Oficial do júri, composto por especialistas nas áreas do cinema e do ambiente - Ilda Teresa de Castro, Inês Gil, Paula Craveiro e Teresa Castro, reúne um conjunto de filmes que nos revelam diferentes olhares sobre a Natureza e o ambiente natural em Lisboa. São múltiplas variantes dessa dimensão que o estado atual de pandemia veio assinalar a urgência de observar e preservar, e que o Lisboa Natura 2020 quis também registar. 

Dos 30 filmes que se apresentaram a concurso, 18 foram selecionados e  apresentados ao longo dos quatro dias do Festival. Destes, o Júri optou por atribuir "ex aequo" dois primeiros prémios aos filmes "Próxima paragem" de Florence (Weyne) Robert e "Sounds of silence" de Mohammed Boubezari.

Foram ainda agraciados com menções honrosas os filmes "Stones on the path" de Diogo Pessoa de Andrade, "Indignação" de Mário Pereira, "MATA: Quinta das Conchas e dos Lilases" de Miguel Cortes Costa, "Manifestação Estudantil pelo clima - com os jovens" de Rita Brás e Inês Abreu e "A tinta esbate-se em forma de onda" de Carina Martins.

Os realizadores dos filmes vencedores do 1.º prémio receberam um prémio Colorfoto e Decathlon, patrocinadores da iniciativa. 

As obras participantes irão constituir um Arquivo Ecovideográfico em plataforma digital da Câmara Municipal de Lisboa e ficarão disponíveis na plataforma Vimeo da Videoteca.

Está também disponível em acesso aberto o catálogo do Festival, composto por textos de Fernando Carrilho, Coordenador da Videoteca, de Ilda Teresa de Castro, Programadora do Festival, textos críticos dos membros do Júri - Ana Paula Craveiro, Inês Gil e Teresa Castro, assim como as biografias dos realizadores e sinopses dos filmes a concurso. 


«(…) O projeto defende o potencial deste extraordinário media a que chamamos filme, ao serviço de histórias originais que transmitam uma percepção actual da realidade, crítica, interventiva e independente, por contraponto com as práticas de produção que seguem o modelo televisivo, orientadas por interesses de mercado e de audiências. Sendo que as obras participantes irão constituir um Arquivo Ecovideográfico em plataforma digital da Câmara Municipal de Lisboa, votamos a que se constituam como testemunho do passado-presente-futuro de uma cultura em transformação e em re-elaboração das suas singularidades. (…)» 

Ilda Teresa de Castro, programadora do Festival Lisboa Natura 2020
 


pesquisa
 
AGENDA