Notícias

 

Paisagens Urbanas no Alentejo de Artur Pastor

Data: 2019-02-11



Convento dos Lóios ou Convento de São João Evangelista [entre 1942 e 1946] Artur Pastor | Código de referência: PT/AMLSB/ART/005213
"Paisagens Urbanas no Alentejo de Artur Pastor”, é o título da exposição que decorre na Casa dos Burgos em Évora, entre 14 de fevereiro e 18 de abril de 2019. Esta exposição conta com uma seleção de 50 imagens cedidas pelo Arquivo Municipal de Lisboa | Fotográfico, as quais documentam a vivência no Alentejo: a paisagem, a atividade económica, as "gentes” e as tradições daquela região, com especial enfoque nos distritos de Beja, Évora e Portalegre.

Sendo missão do Arquivo a promoção e divulgação do seu património documental, esta iniciativa decorre de uma parceria com a Universidade de Évora, através do Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades (CIDEHUS) e com a Direção Regional de Cultura do Alentejo (DRCA), com o objectivo de realçar a vertente de fotografia urbana do autor. Artur Pastor é um dos grandes nomes da fotografia em Portugal da segunda metade do séc. XX, cujo espólio está à nossa guarda.

Recordamos que em 2014, destacamos o trabalho de Artur Pastor em três exposições em diferentes locais de Lisboa, e que deram origem a um catálogo digital e a um documentário disponível na rede.

«Em cada uma das cinquenta fotografias expostas transparece a técnica, a sensibilidade, o gosto e o propósito do autor relativamente à construção do objecto. Mas os castelos, as igrejas, as casas senhoriais, o casario popular, assim como os largos, as praças, as ruas, as esquinas e os recantos captados pelo fotógrafo evidenciam a materialidade urbana do Alentejo entre os anos quarenta e sessenta do século passado e têm igualmente valor documental (…). A exposição é o reconhecimento da importância do legado fotográfico de Artur Pastor para a história e identidade das cidades e vilas do Alentejo, das suas permanências e transformações, de meados do século XX aos nossos dias.»

Maria Ana Bernardo, Universidade de Évora (CIDEH US)

«Uma pequena e simples homenagem se compararmos com o que todos lhe devemos, com o que o Alentejo e Portugal lhe devem. Pastor incansável de um mundo que desapareceu na sua essência, Artur calcorreou o país concentrando-se no que poucos veriam na altura com interesse de registo, com uma especial atenção para o belo, para a força tranquila e para a dignidade de tantos compatriotas que fotografou, ao longo de décadas sobretudo em contextos de trabalho.»

Ana Paula Amendoeira, Direção Regional de Cultura do Alentejo



AGENDA