Bairro(s) do Restelo

 
 
 
Bairro(s) do Restelo – Panorama urbanístico e arquitetónico
 
Resultante da tese de doutoramento de Patrícia Bento d’Almeida produzida em 2003, esta obra surge na continuidade de outras da autora, também relacionadas com o enquadramento crítico, no âmbito da história, da arquitetura e do urbanismo em Portugal.

Este livro reflete uma importante operação urbanística realizada no século XX em Portugal. Tendo como balizas temporais 1938 a 1991, cita a primeira proposta de urbanização da encosta da Ajuda, da autoria de João Guilherme Faria da Costa e o concurso público de ideias, lançado pela EPUL, para a zona nascente da encosta do Restelo, refletindo as sucessivas intervenções, elaboradas ao longo de cinquenta anos, assim como as várias decisões politicas.

Nos finais dos anos 30, a cidade que nascia, ditava que o espaço rural desse lugar ao urbano, erguendo-se à beira rio um conjunto de moradias destinadas a uma classe social desafogada. 
Com a morte do Engenheiro Duarte Pacheco, o plano inicial do Restelo sofre imediatas alterações, como por exemplo a indicada no estudo do projeto do aglomerado de casas económicas da encosta da cidade (1947-1952), destinado a funcionários do Estado e suas famílias.

Nos anos 50 a 70, com a carência habitacional que se fez sentir, a projetada habitação unifamiliar vai sendo, aos poucos, substituída pela multifamiliar. Surgem os blocos habitacionais ao estilo de Le Corbusier. Segundo este arquiteto, a (…) "A cidade do futuro, na sua perspetiva, deveria consistir em grandes blocos de apartamentos assentes em pilares, deixando o terreno fluir debaixo da construção, o que formaria algo semelhante a parques de estacionamento. (…)" Le Corbusier defendia, jocosamente, que, "por lei, todos os edifícios deviam ser brancos", criticando qualquer esforço artificial de ornamentação. As estruturas por ele idealizadas, de uma simplicidade e austeridade espartanas, nas cidades, foram largamente criticadas por serem monótonas e desagradáveis para os peões (…)*

Já na década de 70, o plano de pormenor da zona do Restelo pretendeu atenuar a presença das grandes construções na encosta, propondo alternativas urbanas vitimas de sucessivos projetos e equipas de construção, dando apenas lugar a programas urbanísticos parciais onde se sobreposicionaram decisões urbanísticas ao longo de muitas décadas.


Cota: LIS ARQ&URB ALM
ISBN 978-989-658-283-8



AGENDA