Fevereiro | Março 2019

 
 
 

Vale a pena ler...

Júlio de Castilho
Júlio de Castilho | José Artur Leitão, Bárcia (1871-1945) fotógrafo | Código de referência: PT/AMLSB/CMLSBAH/PCSP/004/BAR/000433

"Tenham-me sempre no coração e nada mais peço”

Júlio de Castilho

Completa-se um século sobre a morte de Júlio de Castilho, historiador da cidade de Lisboa, criador dos estudos olisiponenses, homem de letras e de variadíssimas facetas a quem prestamos a nossa homenagem a partir da exposição de algumas obras e documentos do espólio do Arquivo Municipal de Lisboa, que reunimos numa pequena mostra bibliográfica, a que o tempo, por sua vez, já emprestou uma notável sugestão evocativa.

Júlio de Castilho, homem de muitos talentos, professava o culto da pátria e das letras e evocava o passado, tanto com a sua erudição de arqueólogo como com a sensibilidade do artista. Apaixonado pela cultura, traça a história da sua terra e, neste sentido, muito lhe deve a cidade de Lisboa pela sua investigação histórica, que nos dá a conhecer a cidade e a sociedade portuguesa. Toda a sua obra vasta e erudita é uma homenagem à terra em que nasceu. Com ele podemos atravessar a cidade de "Lisboa antiga” do século XVI e descer à "Ribeira” de onde partiam as galés através do Tejo.

Historiador de grandes recursos, poeta, romancista, dramaturgo, crítico, escultor, pintor, desenhista, aguarelista, conferente erudito, bibliotecário, colecionador de documentos sobre Lisboa e um homem de sociedade que consumiu a sua existência a promover a cultura.
Duração: 05-02-2019 a 30-03-2019
Horário: 2.ª a 6.ª feira, 9h30 às 16h30


AGENDA